Anúncio

Plebiscito para dividir o Pará pode ter sido fraudado




O vereador Reginaldo Campos (PSB), na sessão plenária do Poder Legislativo de hoje, 23/04, usando a Tribuna, denuncia possível fraude no plebiscito realizado ano passado (2011), que objetivava a criação dos Estados de Tapajós e Carajás.





Reginaldo disse que depois de ter tido acesso a um documento, está preocupado com a lisura do processo eleitoral no plebiscito realizado no Pará. 





“No meu entendimento, não houve um processo transparente, houve omissão para a sociedade, dos problemas que estavam ocorrendo durante o período do plebiscito e é bom que o T.R .E / TSE se manifestem sobre esse assunto, estamos formalizando denuncia sobre o fato ao Ministério Público Federal, para que o órgão possa investigar, ter acesso a esse documento, que esperamos seja verídico, não temos 100% de segurança”. Informa.





Reginaldo Campos conta que o documento que trás a tona possível fraude no plebiscito, lhe foi repassado por uma pessoa de Brasília, através de equipamento eletrônico, que em seu entendimento dava para perceber a veracidade do documento, do técnico do T.R.E/Pará, informando ao TSE várias irregularidades, que estariam acontecendo durante o período do plebiscito.





“Um dos assuntos o próprio técnico dizia que não podia falar tudo o que estava acontecendo, porque poderia ser anulada a eleição no Pará, esse documento precisar vir á tona, para que a população do Pará possa ter certeza que votou com segurança ou não, no momento eu estou me sentindo enganado e gostaria que o Ministério Público Federal, se manifestasse com relação a essa investigação e antes disso o TRE/Pará e TSE, possam fazer a mesma coisa”. Solicita. 





Reginaldo Campos relata as possíveis irregularidades ocorridas no plebiscito. “Entre elas, os deficientes visuais, estavam correndo risco de votar sim e ouvir o não, há informações também de várias urnas não terem sido carregadas com o devido sistema, em alguns casos quem votada pro sim, da pro não, houve essa informação dos técnicos de dentro do TRE nesse diálogo para o TSE, gostaríamos de saber se realmente houve isso e se houve que o TRE/TSE esclareçam a lisura do processo eleitoral no Pará, com relação ao plebiscito”. Cobra Reginaldo Campos.





Após a denuncia na câmara municipal, o vereador se dirigiu até o Ministério Publico Federal para protocolar a denuncia oficialmente. Em mãos Reginaldo Campos tinha um DVD com gravação de um advogado de brasilia explicando o Oficio nº 5.367/GAB.DJ, que diz respeito ao documento de comunicação entre o T.R.E/Pará e o TSE, que fala sobre a possivel fraude.





O documento não está disponivel no site do TSE, o que aumenta as possibilidades de ter havido omissão de informações para não comprometer o resultado das votações.


Fonte: Blog do Colares / Blog Cidade de Santarém

Postar um comentário

0 Comentários